sexta-feira, 13 de agosto de 2010

TEMPESTADE SOLAR PODE ATINGIR A TERRA EM 2013

Onda emitida pelo Sol pode causar destruição em massa de equipamentos eletrônicos - e levar a um caos tecnológico. O apregoado fim mundo, pode ser em maio de 2013 - e não em 2012, como previa a antiga civilização maia.
O calendário maia estava errado - pelo menos é o que dá a entender o alerta da Nasa, a agência espacial dos EUA, sobre uma possível tempestade solar que pode ser devastadora.
Apesar da distância do Sol da Terra, cerca de 150 milhões de quilômetros, os pesquisadores da Nasa estão preocupados com essa grande tempestade solar.
Tudo o que usa circuitos elétricos, de carros a computadores, queima no ato. Celulares e satélites pifam, os meios de transporte param, a rede de energia dá curto-circuito e logo começa a faltar água e comida. Esse cenário apocalíptico pode acontecer - e causado pelo Sol. Segundo cientistas da Nasa e de outras instituições, que recentemente se reuniram em Washington para debater a questão, em 2013 o astro vai entrar num ciclo de alta atividade, o que aumenta a probabilidade de erupções solares. Essas erupções liberam muita energia. E, quando essa energia chega à Terra, provoca uma tempestade eletromagnética - que literalmente frita tudo o que tiver um circuito elétrico dentro. Seria um verdadeiro Dia do Juízo Final para os equipamentos eletrônicos. Os cientistas não sabem exatamente quando essa tempestade virá, ou qual sua força. Mas dizem que há motivo para preocupação.
"O Sol está despertando de um sono profundo. E nossa sociedade é muito vulnerável a tempestades solares", diz o físico Richard Fisher, da Nasa. Elas já aconteceram antes.
Em 1859, ocorreu uma tempestade geomagnética do tamanho da prevista para 2013. Conhecida como "Evento Carrington", por ser testemunhado pelo astrônomo Richard Carrington, a tempestade causou incêndios em escritórios de telégrafos, eletrificou cabos de transmissão e produziu auroras boreais intensas.
Hoje, o efeito seria muito pior. Um relatório assinado por cientistas de 17 universidades diz que a humanidade levaria até 10 anos para se recuperar de um grande evento do tipo. A solução é desligar tudo o que for elétrico antes da tempestade. Os EUA têm um satélite capaz de detectar a onda com um dia de antecedência - em tese, tempo suficiente para que as redes de energia do mundo sejam desconectadas.
As sondas espaciais Stereo, ACE e SDO transmitem a cada minuto informações atualizadas sobre o que acontece com o Sol. Isso permite que os pesquisadores monitorem e analisem as erupções solares permanentemente. Então, por enquanto, não há motivo para desespero.

2 comentários:

  1. Tem havido sempre tempestades solares e ainda há pouco tempo vi uma reportagem de quando, há uns anos, uma parte do Canadá ficou às escuras por causa de uma.
    À medida que vamos ficando mais dependentes da electrónica, mais provável será que um dia nos arriscamos a ficar sem quase nada a funcionar, por quanto tempo, não sabemos, mas o que é preciso é ter calma, se calhar até vai ser uma experiência curiosa, sem twitar, sem net, sem o micro-ondas, a máquina de lavar, ter de andar a pé,...
    Cá por mim, tenho sempre velas e fósforos em casa, às escuras é que não fico lol lol lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Ao preço que a Galp e os senhores que no mundo aumentam os preços dos combustiveis incluindo o gás, bem que fazia geito uma ajudinha do sol para fritar as salsichas...

    ResponderEliminar

Pagina Inicial

Make Money

Ocorreu um erro neste dispositivo